Thiara Macedo (sdpm)

Estar apaixonado deixa tudo tão bonito, tão bonito, que de preto e branco, seu mundo se torna arco-íris.

Fernando Pessoa. 

Minha dor é velha como um frasco de essência cheio de pó. Minha dor é inútil como uma gaiola numa terra onde não há aves. E minha dor é silenciosa e triste como a parte da praia onde o mar não chega. Chego às janelas dos palácios arruinados e cismo de dentro para fora para me consolar do presente. Dá-me rosas, rosas, e lírios também…

October, 1994. 

De você, eu guardo a saudade mais bonita.

Dom Quixote 

Muito prazer, meu nome é otário. Vindo de outros tempos, mas sempre no horário.

Thiara Macedo (sdpm)

Achava que fosse um anjo disfarçado de um garoto qualquer. Não tinha asas, mas me cuidava tão bem quanto um.

Supernatural 

— Eu sou uma aberração.
— As pessoas mais legais são aberrações.

Caio Fernando Abreu.   

Acorde, garota! Você é linda, inteligente, tem um ótimo perfume e seus olhos brilham mais que um punhado de purpurina. Por que chora? Perdeu em alguma esquina seu encanto?! Ninguém pode tirar de você seu mais belo sorriso, motivo de idas e vindas saltitantes. Coloque sua música favorita para tocar, respire fundo e faça o que de melhor sabe fazer: Ser você.

O Diário de Anne Frank

O papel tem mais paciência do que as pessoas. Pensei nesse ditado num daqueles dias em que me sentia meio deprimida e estava em casa, sentada com o queixo apoiado nas mãos, chateada e inquieta, pensando se ficaria ou se sairia. Finalmente fiquei onde estava, matutando. É, o papel tem mais paciência, e como estou planejando que ninguém mais leia esse caderno de capa dura que geralmente chamamos de diário, a não ser que algum dia encontre um verdadeiro amigo, isso provavelmente não vai fazer a menor diferença. Agora estou de volta ao ponto que me levou a escrever um diário: não tenho um amigo.

Thiara Macedo (sdpm)

Virei dor pra não virar saudade, pra não se tornar passado, pra jamais mudar o “somos” por “éramos”… Virei dor pra continuar sendo amor.

Nickelback.  

Eu continuo sonhando que você estará comigo.

Clarissa Corrêa. 

Eu só quero que você entenda que eu não gosto quando você vai embora. Não gosto quando você esconde o que sente. Não gosto quando você não me dá a menor bola. Se eu falo que está tudo bem, quero que você pergunte de novo. E de novo. De vez em quando eu finjo que tudo está numa boa, mas tenho o meu lado fraco. Preciso de colo. De atenção. Se eu estou triste, quero você ao lado. Se eu estou braba, quero você ao lado. Se eu estou num dia bom, quero você ao lado. Se meu dia foi péssimo, quero você ao lado.

Gabito Nunes.  

Mas eu não posso reclamar. É, eu não posso reclamar. Mas eu queria reclamar, conversar, entender, decidir. Ou então gritar, berrar, rugir, enlouquecer até você verbalizar uma improbabilidade tal como “garota, cala essa boca lotada de marimbondos e pequenas palavras mal escolhidas e vê se escuta: eu amo você demais”. Como fazem nas histórias de locadora a que não temos paciência de assistir, porque no fim a gente fica sabendo que, assim como amar, ser amado também é uma coisa que se aprende.